From Russia With Love: Moscow #1

10 de outubro de 2016 por Keylla Victor
A Catedral de São Basílio, um ícone russo.

Este é o primeiro post de uma série que pretendo fazer sobre a Rússia, um país lindo, enorme e cheio de lugares incríveis e coisas pra contar, então fiquem ligados…

A Rússia sempre me intrigou muito mais que o resto da Europa, talvez por ter crescido ouvindo histórias a respeito da queda da União Soviética e do comunismo, o que nunca nenhum professor conseguiu explicar de forma clara…- eu preferi ir buscar as respostas por mim mesma.

Adoro mapas.
Adoro mapas.

Agora levo você para passear pela maior cidade da Rússia, Moscou, que tem hoje cerca de 12 milhoes de habitantes, é tambem a capital do país, uma cidade tipicamente russa com influências do ocidente e do oriente.

Chegamos na cidade após uma conexão em Istambul, na Turquia pela Turkish Airlines. O Aeroporto Internacional de Vnukovo, é um dos 4 aeroportos internacionais do pais, não é o  maior da cidade, nem o maior da Rússia, aliás é bem menor e menos estruturado do que eu imaginava.

Os taxistas ficam bem na porta do desembarque, oferecendo corridas a preços exorbitantes, fica difícil de negociar, até existe um balcão oficial de táxis, mas é uma bagunça percebe-se que há um conluio para extorquir os turistas, pois somos abordados antes mesmo de chegar no guichê e a atendente, quase sem falar inglês diz que o que vale é o preço dado pelo homem que nos abordou … foi neste momento que senti que o Inglês não iria me levar muito longe.

Saímos então a procura de ajuda, mas nem mesmo os funcionários de dentro do aeroporto falam inglês. Para nossa sorte, uma senhora muito disposta, usou seu próprio celular e negociou com uma empresa de táxis fora do aeroporto e então conseguimos ir até nosso hotel por exatamente 1/3 do valor pedido pelo taxista no desembarque. Nem mesmo o Uber funciona, pois o aeroporto só tem Wi Fi para quem tem número de celular russo.

Ficamos hospedados  no HOTEL NATIONAL a Luxury Collection, o hotel mais antigo da cidade, eu disse antigo, não velho. A localização não poderia ser melhor, bem em frente ao Kremlin, nem eu mesma (que fiz a reserva pelo Hoteis.com), acreditei no que estava vendo.

Fachada do Hotel National
Fachada do Hotel National.
dsc04350
Fachada do Hotel National.
Lobby com recepção do Hotel.
Lobby com recepção do Hotel.

Um hotel lindo, com decoração retrô, bem russa, na verdade é para o hospede ter a sensação de estar na época dos czares.  Nosso quarto era amplo, com closed e uma sala com sofá e escrivaninha, o banheiro era meio retrô, quero dizer…uma reforminha cairia bem.

Nosso quarto.
Nosso quarto.

O ponto alto deste hotel é sem duvida o café da manhã, não pela seleção do buffet (que é muito boa por sinal), mas a vista é de tirar o fôlego de qualquer um, vale cada centavo.

O Café mais lindo que já tomamos.
O Café mais lindo que já tomamos.

Uma característica de Moscou é que toda a parte histórica da cidade fica concentrada bem perto do centro, bem perto da Praça Vermelha, o que torna a cidade muito conveniente para o turista, que consegue se locomover a pé com facilidade.

Uma visita a Moscou tem que  iniciar no Kremlin que fica junto a Praça Vermelha, um dos maiores símbolos do país, um passeio para o dia todo.

unnamed-7
Os portões de Entrada para a Praça Vermelha.

Contratei uma guia, algo imprescindível em Moscou, não só pelo fato dos russos não falarem inglês, mas o país é cheio de história, que começa lá no séc. XIII, uma história que ao contrário do resto da Europa, não faz parte do nosso curriculum escolar, portanto não conhecemos a fundo. Eu já havia lido um pouco e assistido alguns filmes também, mas mesmo assim tinha muita coisa para aprender.

A Helena guiaelena@yandex.com nossa guia, uma senhora russa com um português perfeito era um poço de sabedoria e uma simpatia sem fim, nos guiou por todo o percurso, incansável ela nos explicou cada detalhe sobre as igrejas, museus, monumentos, prédios e jardins. Cada canto tem uma história, cada monumento um significado.

Nossa guia Helena.
Nossa guia Helena.

Kremlin em Russo quer dizer”fortaleza dentro de uma cidade”, e os czares construíram a muralha entre 1485 a 1495, para viverem em segurança dentro da grande muralha vermelha, entretanto a cidade foi crescendo e depois de um tempo, nem tudo dava para ser feito do lado de dentro da grande muralha, e as feiras passaram a ser realizadas do lado de fora o que deu origem a praça vermelha. A palavra vermelho em russo é sinônimo de bonito, por isso ela tem este nome.

Torre do Salvador, uma das 20 torres ao redor da muralha do Kremlin.
Torre do Salvador, uma das 20 torres ao redor da muralha do Kremlin.
unnamed-17
Acompanhando a muralha pelo lado de fora.
A imensa muralha do Kremlin
A imensa muralha do Kremlin.

Já logo na entrada da Praça Vermelha, o Mausoléu  de Lenin  dá as boas vindas aos turista, a fila é grande mas vai bem rápido, o percurso até a sala onde está embalsamado o corpo do ditador, tem diversos túmulos e estátuas de pessoas que fizeram parte do antigo regime soviético. Neste momento a guia foi importantíssima, pois nós conhecemos a historia e seus personagens de forma bem superficial, mas é uma história interessantíssima, cheia de derrotas e triunfos as custas de muita dor e sofrimento do povo russo.

Ao entrarmos no Kremlin nos deparamos com um complexo lindo, imenso, bem conservado, limpo, organizado e muito seguro. Lá dentro fica o escritório e a residência oficial do atual presidente da Rússia Vladmir Puttin, (que é absolutamente venerado pelos russos), a residência é utilizada apenas para eventos, ninguém sabe ao certo onde ele mora. Além da atual sede do governo russo, o Kremlin abriga diversas igrejas, datadas do sec. XII, cada uma com a sua história, seu propósito e uma dinastia inteira de Czares russos, tem seus túmulos no interior do Kremlin. Um museu grandioso guarda com orgulho, vestidos, carruagens, jóias, utensílios, armas e outras relíquias que contam a história do conturbado tempo dos Czares, além de palácios e jardins impecáveis.

dsc04276 dsc04290

dsc04294
Catedral da Anunciação.

dsc04293

dsc04287
Já no interior do Kremlin.
Escritório do Presidente Vladmir Putin
Escritório do Presidente Vladmir Putin
Sede do Partido Comuinsta Russo dentro do Kremlin
Sede do Partido Comunista Russo dentro do Kremlin
O Canhão do Czar. O maior canhão do mundo, nunca foi desparado.
O Canhão do Czar. O maior canhão do mundo, nunca foi disparado.
O Sino do Czar, o amior sino do mundo.
O Sino do Czar, o maior sino do mundo.

unnamed-13

unnamed-14
Catedral da Assunção.
unnamed-15
Catedral da Assunção.

unnamed-12

As jóias do Kremlin, com sua infinidade de diamantes e pedras preciosas estão em um outro museu também no Kremlin, onde é proibido fotografar, o turista pode apreciar as vitrines e ouvir as explicações através de um I Pod, emprestado gratuitamente na recepção do museu.

A icónica Igreja de São Basílio desde 1990, é patrimônio mundial da Unesco. Com suas abóbadas coloridas ela fica também na Praça Vermelha,  junto aos muros do Kremlin.

 

São Basílio.
São Basílio.
A Catedral de São Basílio, um ícone russo.
A Catedral de São Basílio, um ícone russo.

Construída  entre 1555 e 1561 sob ordens do Czar Ivan, o Terrível, após sua vitória na batalha de Kazhan, a Catedral de São Basílio é provavelmente a imagem mais conhecida da Rússia no exterior. Seus domos coloridos representam as 9 pequenas capelas que compõe a Catedral. Por dentro podemos visita-las e se dermos sorte apreciar o canto de musica sacra ortodoxa em uma das capelas.

Uma das lendas mais resistentes ligadas a São Basílio é que o czar Ivan, o Terrível, ficou tão satisfeitíssimo com o trabalho final, que mandou cegar o arquiteto para que ele nunca mais pudesse construir algo semelhante.

Já no final de um exaustivo dia, entre no Shopping Gun que fica Praça Vermelha, para um delicioso chocolate quente no Bosco Café ou até um caviar com espumante no restaurante que fica junto ao supermercado no interior do shopping (não resisti ao caviar).

 

dsc04254
Shopping Gum.
dsc04325
Shopping Gum.

O DINHEIRO:

A moeda Russa é o Rublo Russo, já foi mais forte, hoje está em queda por conta da crise que passa o país.

QUANTO CUSTA:

Para sabermos quanto custa devemos dividir o valor em Rublos por 72, assim saberemos quanto vale em Euro e ai multiplicar pelo valor do Euro, para sabermos quanto vale em Real.

Se me perguntarem se a Rússia é muito cara, eu diria que não é mais cara que São Paulo, e que a hora de ir é agora, pois a moeda russa vem sofrendo grande desvalorização, entretanto os preços das coisas ainda não acompanharam a desvalorização da moeda, pois assim como aqui os salários não sobem com a desvalorização do Real.

DICA SECRETA:

Prefira o Euro ao Dólar, assim você não perde tanto no cambio, pois o Euro além de mais valorizado é mais bem aceito caso você não tenha conseguido trocar e precise usar em uma emergência.

As casas de cambio estão não só nos aeroportos, mas também espalhadas por toda a cidade, com luminosos informando o cambio do dia, fique atento… a variação de um lugar para outro pode ser bem grande, evite trocar dentro de hotéis e áreas com muitos turistas, os valores nestes lugares tendem a ser mais baixos para quem quer trocar Euros por Rublos.

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários

comentários