Como emitir o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP)

13 de julho de 2016 por Keylla Victor
capa1

Você está pensando em viajar? Antes de fazer as malas, é melhor procurar saber se o lugar onde você está planejando ir exige o CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO (CIVP).

Alguns lugares, inclusive dentro do Brasil como  Acre, Amazonas e Tocantins por exemplo,  exigem este certificado.  O intuito é preservar a saúde dos visitantes bem como das comunidades locais, alguns países como a Tailândia e as Maldivas não exigem visto de brasileiros, mas só permitem a entrada do visitante mediante a apresentação deste certificado, que atesta vacinação para determinadas doenças.

Portanto, tão importante quanto o passaporte com validade mínima de 6 meses e os vistos, são as vacinas, principalmente se você pretende viajar para regiões endêmicas para algumas doenças, como a Febre Amarela e a Febre Tifóide, países como os da  América Latina, Ásia e África são os que mais exigem este tipo de documento logo na chegada ao aeroporto de destino.

Para saber se o país que você vai visitar precisa ou não de alguma vacina, o site da Anvisa disponibiliza todas estas informações.

No caso da Vacina Contra Febre Amarela, é necessário ter tomado a vacina pelo menos 10 idas antes do embarque, ela é válida por 10 anos.

No Brasil, a distribuição da vacina é gratuita e realizada em qualquer unidade de saúde da rede municipal ou estadual.

capa1

ATENÇÃO:

Importante ficar atento, pois  a vacina contra a febre amarela, só passa a valer 10 dias depois de tomada. Passageiros que não respeitam esse prazo mínimo, correm sérios riscos de serem barrados no aeroporto tanto no embarque aqui no Brasil, quanto ao chegar no destino final. Não deixe para a última hora.

A carteirinha de vacinação emitida pelos postos de saúde não é suficiente, e nem será aceita no seu local de destino, é necessário  a emissão da  do CIVP que  também é emitida gratuitamente pela Anvisa. O processo é simples, e pode ser feito em unidades da própria Vigilância Sanitária, portal.anvisa.gov.br, presentes em todos os aeroportos brasileiros e em Centros de Orientação para Saúde do Viajante. Como a Anvisa exige a assinatura do viajante, o procedimento para emitir o CIVP é pessoal e intransferível.

Algumas pessoas  fazendo uso de corticóides, em tratamentos de  quimioterapia ou radioterapia,  pessoas alérgicas a componentes da vacina, portadores do vírus HIV,  mulheres grávidas e bebês com idade inferior a 6 meses têm direito ao certificado de isenção da vacina; com  um laudo médico  carimbado e assinado e o passaporte em mãos,  podem pedir o documento, em um dos Centros de Orientação para a Saúde do Viajante. A emissão é feita na hora.

A Anvisa recomenda que preencha este formulário para evitar atrasos.

Fique atento aos dias e  horários de funcionamento dos escritórios da Anvisa nos Aeroportos.

SUA VACINA PASSO A PASSO:

Primeiro Passo

Dirija-se a um posto de saúde para tomar a vacina ( importante fazer isso no mínimo 10 dias antes do embarque).

Segundo Passo

Preencha o formulário .

Certifique-se  do horário de funcionamento do escritório no aeroporto mais perto de você, para a emissão do CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO.

Terceiro Passo

Vá viajar tranquilo.

Comentários

comentários